segunda-feira, 26 de outubro de 2009

o equilíbrio interior


Não tenho qualquer prazer em separar-me destas palavras, até porque nenhuma outra me vem para o lugar delas.
Ao contrário do que pensam os espíritos, que apenas ouvem o tilintar das palavras – limites do pensamento, limites da razão, afinal, a verdade sou eu.

Sem comentários: