segunda-feira, 28 de setembro de 2009

A Paixão dos Sentidos







Invariavelmente perguntam-me o que me leva a “saltar” da cama às cinco da manha…!
Talvez, esta versão muito, muito reduzida de uma madrugada de brama ajude a perceber o que é uma paixão de sentidos!

domingo, 27 de setembro de 2009

A fita


Com significâncias várias, a fita, igualmente é referenciada num sem número de situações.
Na vida política versus inaugurações, tem o seu momento alto no corte da fita, na vida académica adquire sabor de quase fim com a queima das fitas, também no cinema temos a fita e muitas vezes nas vidas privadas, mais ou menos íntimas, fazem-se algumas fitas…!
Talvez o sentido que mais se coaduna com o meu pensamento de hoje, seja, o que me é dado pelo dicionário - no figurativo é: “história arranjada para iludir outrem”.
Não pretendendo dar razão aos outros sentidos, igualmente constantes do dicionário consultado….como sejam: desordem; escândalo; fazer escândalo, etc., hoje numa deslocação para mais uma observação da brama, ao depararmos num caminho rural mas público “interrompido” com uma fita…resolvemos, como pessoas bem formadas que somos, não “prevaricar a instrução dada pela fita” utilizando “esse” caminho.
Não me apetece esmiuçar sobre os autores, as intenções e o significado da fita.
Até porque há sempre a hipótese de elementos da natureza, a saber o vento, de “sopro em sopro” a fita ter sido levada para junto dos arbustos e de rodopios em rodopios ter sida atada aos mesmos.
Confesso que não estou para aqui a pretender fazer fitas….mas nestes dias que têm antecedido a brama, e dado ter algumas fotografias alojadas em sites da chamada fotografia de natureza, têm sido inúmeros os convites, com programas turísticos mais ou menos completos de fim-de-semana, para participar/fotografar a brama - em Espanha claro.
Igualmente o meu amigo L., manifestando também a sua estupefacção pela fita…e procurando tirar/encontrar ilações na sua colocação, comentava que a televisão espanhola em leituras inteligentes de captação de nichos de mercado interessado, têm transmitido inúmeros programas sobre a brama.

Claro que não sou adepto de turismos de massas, mas, deixem-se de fitas:
Afinal a quem interessou aquela fita?

sábado, 26 de setembro de 2009

Junto àquela árvore


O céu é um estratagema. A cor integra-se no suporte, fazendo surgir uma imagem que, dinamicamente, se transforma.
Procuram-se todas as possibilidades: A síntese da árvore torna-se na síntese da própria vida
O céu, sobre ela, transparente e compreensível.


Junto àquela árvore – é um bom motivo para um encontro!

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Porque o jogo complexo varia continuamente segundo o ponto de vista do espectador!


Embora o meu imaginário se apoie num “vasto universo”, a imaginação e o humor jogam no plano das perspectivas visuais - a forma como este “artista” conseguiu incutir na sua “obra” uma carga tão intensa de criatividade e movimento.
Não há dúvida que estes “artistas” conferem às suas obras um poder de metamorfose surpreendente.

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

I don´t know the answer, my friend…


How many roads must a man walk down/ Before you call him a man?/ Yes, and how many seas must a white dove sail/ Before she sleeps in the sand?

I don´t know the answer, my friend…


Ps. obrigado Bob Dylan

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

A manipulação dos elementos de um sinal

Pelos mais diferentes motivos, práticas ou meramente decorativos, sinais pictóricos foram alterados e manipulados deliberadamente.
Assim, linhas, círculos, semi-círculos, cruzes e meias cruzes, gravadas na Tala da Justiça, assumem o signo de multas.
Nesse momento, as figuras transformaram-se numa escrita que conservou o pensamento e pela compreensão dos sinais, a sua leitura em qualquer época.

Rio de Onor.Setembro.2009

Ps. um obrigado ao homem do registo, o L., meu "eterno companheiro de viagens".





Ps2. o eterno problema da definição...assim aqui fica o link
http://www.youtube.com/watch?v=uLu2wcd9HVc&feature=channel

terça-feira, 8 de setembro de 2009

…nos intervalos da ilusão!


A figura mais admirável é aquela que, pelas suas acções, melhor expressa a paixão que a anima.