sábado, 29 de agosto de 2009

A mediação do olhar



Sem ainda perceber qual a relação entre o pensamento que me ocorreu e a imagem que tinha na lente…contudo, confesso, que no momento o mesmo voou para uma das estrofes da Valsinha (Vinícius de Moraes – Chico Buarque)“
(…) Olhou-a dum jeito (…)
Talvez, inconscientemente, por analogia, tenha-me apropriado da imagem, para um outro olhar….
Talvez tenha captado um momento (...um olhar") do quotidiano…

Talvez, usando e abusando com os significados da linguagem visual, tenha exercitado a capacidade de desenvolver a nossa sensibilidade, gerando emoções e sentimentos, aprofundando a sua magia e “divagando”… materializar visões, sonhos, medos e recordações com que nos identificamos e que não sabemos exprimir…
…imagens que nos reinventam e libertam?!

Ps.:
Quero escutar um conto, história
triste
não me importo
mas não desisto de um final
feliz e nele me perco movido
movido por ideias.

4 comentários:

Arabica disse...

E será que o olhar preso, captado pela lente, lhe contará essa história?

Um beijinho, boa semana.

alexandrecastro disse...

Olá Arábica.
Uma pergunta bem “colocada” – “E será que o olhar preso, captado pela lente, lhe contará essa história?”

A resposta, essa, remeto para a mensagem de entrada no seu blog:
"Só a imaginação transforma. Só a imaginação transtorna. É imaginação o livre exercício do espírito que servindo-se de um ou mais aspectos do "real" passa lenta ou rapidamente ao extremo limite deste para alcançar, pouco importa em que margens, o objecto real de um irreal conquistado no espírito." Mário Cesariny.
Beijinho
alexandre

Arabica disse...

:)

ivone disse...

"Um dia, ele chegou tão diferente do seu jeito de sempre chegar



Que o mundo compreendeu
E o dia amanheceu
Em paz"