quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

quando a sabedoria popular contrapõe


Num anterior post comentei que gostaria de ver por aqui um Museu de Etnografia.
Pelos vistos não estou só neste meu “querer/gostar”.
Na aldeia da Aveleda já alguém deu os primeiros passos….achamo-nos assim indissoluvelmente ligados ao passado.

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

Um bom tema de reflexão…


Na minha rápida visita à Feira Internacional de Arte Contemporânea ARCO em Madrid, das diferentes propostas apresentadas pelos expositores, esta sem dúvida despertou a minha longa e detalhada atenção.
Confesso que a minha cabeça anda tão “desregulada” que um dia destes também tenho que lhe colocar rédeas e freios….
Contudo uma dúvida me assiste:
Não sei se dome primeiro o hemisfério esquerdo, responsável pelo pensamento lógico e competência comunicativa, ou o hemisfério direito, responsável pelo pensamento simbólico e criatividade.
Eis aqui um bom tema de reflexão…

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Fabuloso imaginário


Símbolos protectores, testemunhos de uma miscigenação longínqua de culturas, o tempo deu-lhe a patine, o quotidiano mantêm-lhe a utilidade!

Da intenção decorativa, há sua função de amuleto, o significado profundo que muitas vezes nos escapa.

terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

...algumas imagens retidas na retina


NÃO BASTA abrir a janela
Para ver os campos e o rio
Não é bastante não ser cego
Para ver as árvores e as flores

Alberto Caeiro

Uma carrroça puxada por um burro, recortada na perspectiva a imagem de pastor conduzindo um horizonte pungente em sons de badalos, uma leira a ser carinhosamente tratada por mãos calejadas!
São algumas imagens retidas na retina.

Um mundo a desaparecer aos poucos perante o olhar distraído de todos.

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

O sentido




A lição de Picasso: não procurar, encontrar.

domingo, 1 de fevereiro de 2009

Elementar…


Por vezes deparo-me com questões que à priori parecem complexas…
Já esquecido das horas passadas, também, no estúdio de revelação do p/b, à pergunta anteriormente formulada, rapidamente lhe encontrei a resposta.
Os brancos, seguindo a técnica da aguarela, “abrem-se” aproveitando o branco do papel.
Claro que esta, em parte, pode ser, a teoria.
Ps. Nada melhor que perder a preguiça e experimentar.

Paisagens pintadas de neve


Mais uma manhã em que ao acordar as paisagens surgem com contornos esbatidos, onde os “elementos desta tela gigante” quase perderam a sua cor e identidade.
Embora conhecedor da indefinição, ao olhar pela janela invade-me sempre o mesmo afã: sair com a máquina fotográfica para registos de ocasião!!!!
Hoje, contudo, tive uma dúvida quase existencialista….
Como se faz o registo da neve utilizando esboços a grafite?
Talvez este seja um bom tema para espreguiçar neste domingo que convida a "morrinhas de lareira"!!!