domingo, 6 de julho de 2008

[...]

Nos campos, uma fonte, uma nora, um baldão, uma cabana de pastor, de colmo ou pedra, um cruzeiro, uma capela de almas, servem para marcar no rosto fresco da paisagem esse qualquer coisa de humano que os nossos sentidos civilizados sobretudo apreciam.

2 comentários:

Manuela Viola disse...

Muito interessante este trabalho sobre as alminhas, que aqui pelo sul não existe muito.
Quanto à musica, lembrei-me dos meus tempos de coralista, onde também interpretàvamos este Avé Maria. Bjo

~pi disse...

tantos

olhos-poema

pon ( tes

música


[ re conhecimento... :)





~