sexta-feira, 30 de maio de 2008

Alminhas, perdidas, pequeninas coisas onde se podem fixar momentaneamente os olhos cansados do viandante…!


As alminhas deixam uma grande impressão de doçura e serenidade. E apesar do assunto a que respeitam, não entristecem, encantam.

9 comentários:

Gi disse...

Não sei se as alminhas penadas pensarão o mesmo. Deve estar um calor abrasador por ali :)

Onde é Alexandre?

Um beijinho e bom fim-de-semana

~pi disse...

nunca percebi

como não viravam churrascO! :)





beijO

Ana Ramon disse...

Doçura e serenidade com um motivo destes, Alexandre?? Chiça!!
:)))))))))))))
Mas percebi onde queres chegar. Foi só para brincar contigo.
Espero que estejas mais animado.
Um beijinho grande

Um Momento disse...

E sim...
Quando vou para Trás os Montes , são ainda algumas as "Alminhas" que me acompanham pelo caminho.
Sorrio-lhes á sua passagem, quase sempre lhes peço que me acompanhem ao destino...

Um beijo... acompanhando-te com um sorriso

(*)

Paredes Cardoso disse...

Olá Alexandre,
A nossa relutância em lidar com a morte manifesta-se neste culto,
procura-se atenuar a nossa dificuldade em aceitar o "fim".
Deveríamos parar e fazer uma oração, não é assim?
Um abraço

vermella disse...

as vosas almiñas son como a nosa Santa Compaña,non dan medo, encandila a súa presenza etérea.
por certo a imaxe recórdame a artista mexicana María Izquierdo..........
beijo.

Gi disse...

Vim deixar um olá, espreitar se desde a última visita havia alguma coisa para encher os olhos e a alma para além das alminhas mas já vi que anda mais arredado da blogosfera que eu :)

Um beijinho e bom fim de semana

Alice Matos disse...

Passei para espreitar... Almas penadas lembram-me as tristezas da vida... Mas, enfim... também ela fazem parte...

Um beijo...

_E se eu fosse puta...Tu lias?_ disse...

ía jurar que já tinha comentado este post... li-o de alma e coração;)


e aproveito para dizer que hoje estamos em festa:D

beijinhos