sexta-feira, 30 de maio de 2008

Alminhas, perdidas, pequeninas coisas onde se podem fixar momentaneamente os olhos cansados do viandante…!


As alminhas deixam uma grande impressão de doçura e serenidade. E apesar do assunto a que respeitam, não entristecem, encantam.

quarta-feira, 21 de maio de 2008

de passagem


Hoje, acompanhando um amigo meu, finalmente, consegui ultrapassar o portão (belíssimo por sinal) que “limita” o acesso às águas medicinais de Calabor.


Confesso que a inveja subiu por mim acima…
Não há nada como estar rodeado pelos cheiros da erva, das árvores, das plantas, das flores….
Sinto-me bem, gosto de pensar no modo como ali o tempo passa.
Escondido, recolhido, a natureza devolve-me o tempo e a disposição para me reencontrar.

Sobre as virtudes da água talvez uma transcrição da história do local possa ser mais elucidativo do que tudo o que eu possa escrever:

(...) Los romanos, grandes aficionados a los baños termales y al cuidado de la salud, encontraron sus aguas tan beneficiosas que incluso en aquellos tiempos la exportaban a distintos puntos de Europa….(...)

Ps.1 Confesso que me custou abandonar aquele paraíso na terra!
Ps. 2 E Maria a sua proprietária - uma simpatia de pessoa!

domingo, 18 de maio de 2008

margem para imaginar, e sugerir reflexões….


Seduzir por imagens é algo que pode funcionar com toda a gente...?