segunda-feira, 10 de março de 2008

Ser o que penso? Mas penso tanta coisa!

Não sou nada.
Nunca serei nada.
Não posso querer ser nada.
À parte isso, tenho em mim todos os sonhos do mundo.

(…)
Acendo um cigarro ao pensar em escrevê-los

E saboreio no cigarro a libertação de todos os pensamentos.
Sigo o fumo como uma rota própria,
E gozo, num momento sensitivo e competente,
A libertação de todas as especulações
E a consciência de que a metafísica é uma consequência de estar mal disposto.
Depois deito-me para trás na cadeira

E continuo fumando.
Enquanto o Destino mo conceder, continuarei fumando.

Tabacaria,
Fernando Pessoa

4 comentários:

Um Momento disse...

E eu penso que Pessoa tinha toda a razão... e eu tamém continuo a fumar:)

Bela partilha esta

(*)

~pi disse...

as portas de palavras e gestos

que ele nos abre...






~

ivone disse...

este pessoa também me persegue

Sweet Lion disse...

Boa noite...vim aqui agradecer a sua visita ao meu blog,e o seu comentario,aproveitando ainda para deixar desde ja o convite para que volte sempre que quiser,ok! :)
Coloquei esta mensagem neste poema...porque é um dos meus poemas favoritos do Fernando Pessoa...e por isso nao resisti!!
Fique bem...e volte sempre!:)