segunda-feira, 26 de novembro de 2007

Tempos e patrimónios novos




“Alminhas” das estradas e caminhos – um ponto de vista

“Ó vós que ides passando,
lembrai-vos de nós,
que estamos penando”

Os nichos das alminhas, dispersos por caminhos, constituem uma curiosa apresentação da nossa etnografia.
Documentos ingénuos de arte popular, registos de vida e costumes também da sociedade trasmontana - com um valor histórico e ao mesmo tempo cultural, estes valem sobretudo, para além da nota religiosa, pelo cunho artístico - popular que apresentam, com os seus erros de desenho, “ingenuidades iconográficas” e policromia viva das tintas.
Com o decorrer dos anos as “substituições” assumem a forma de nichos de pedra ou painéis de azulejos.


Deste modo, pelos materiais utilizados, podem-se distinguir “intervenções” de diversas épocas.
Notas típicas da paisagem e da arte portuguesa, elas merecem bem o interesse do nosso olhar.

Todavia, e temos de afirmá-lo, como está algum do nosso património…?

É comum dizer-se que uma imagem vale por mil palavras…contudo, talvez nem com mil imagens seja possível desenvolver o que dizem estas oito palavras:
- Abandono!

Eu não estou minimamente dentro do assunto, por isso desconheço em absoluto o fundamento (ou ausência dele) mas posso dizer uma coisa que para mim parece o mais gritante dos óbvios:
- A resposta ao objectivamente visível, encontra-se perdida, algures… no limbo do anonimato das cidades modernas onde tudo se torna transitório.

Assim sendo, fica sempre a esperança!

4 comentários:

São disse...

Retribuindo a visita, encontro um tema que reputo imprtante.
Boa semana!

Um Momento disse...

Sorrindo...
Sabes Amigo meu..
Quando viajo e vejo aguma ...sempre em pensamento lhes digo:"Acompanha-me"
Gostei muito de ler...
Trago-te "Mimos" do meu cantinho que te ofereço com carinho e desejando uma boa semana te sopro umbeijo com ternura... a Ti

(*)

deep disse...

Continuo a preferir as toscas "alminhas", que traduzem com maior genuinidade a crença dos antigos.

Bjs

De Amor e de Terra disse...

Também "choro" o abandono a que certas coisas do passado têm sido votadas, incluindo estas em causa; acho essas da sua zona interessantíssimas e duma beleza singela e tocante! As que conheço por cá, são mais recentes; mas algumas delas também esquecidas...

Bj

Maria Mamede