terça-feira, 6 de novembro de 2007

Exílio


São vários os modos de exílio:

a) o exílio amoroso
b) o exílio para o espaço interior
c) o exílio para um espaço de pura exterioridade
d) o exílio como agenciamento de um olhar de fora para dentro.
nota: ultimamente "estou" em todas as alíneas....!

7 comentários:

vermella disse...

O exilio é un estado da alma,eu practico todos pero o meu favorito é o do interior para fóra,este faíme ver mellor as cousas.
beijinho.

Um Momento disse...

Hum...
Há um cantinho aí para mim?

Passei e gostei deste espaço
Voltarei
Desejo um bom final de tarde:)

(*)

Graça Pires disse...

Há o exílio das palavras trancadas no labirinto do silêncio.
Um abraço.

ivone disse...

alínea à
fecho as "portas" ao amor

alínea bê
tranco as "fechaduras" do sentir

alínea cê
corro as "trancas" do mundo

alínea dê
fecho os olhos cheiro paladar ruído e tacto

sem ou cem alínea
cuidado com o refúgio.
há caminhos sem saída.
há veredas que se transformam em labirintos.
e há estados de alma intransponíveis que se figuram irreversíveis.
cautela!

alínea é
nunca mas nunca dês exílio às tuas letras.

Gi disse...

Vá lá, ainda tens uma janelinha aí na imagem para veres o exterior, não é um exílio completo , ainda há fios que te ligam. Às ideias, às palavras, aos sentires. Nem tudo está perdido. O exílio quando imposto por nós e não por outrém é quase sempe benfazejo.

Um beijinho.

(tenho andado arredada das caixas de comentários e até dos blogues. Completamente assoberbada e sem tempo de chegar a todo o lado. O tamanho das imagens é para compensar a redução das palavras. Também se exilaram , juntamente com o tempo disponível ;) )

Crónica disse...

POis tb me encontro impressa em todas as alíneas...
mas o d) tem se mostrado mas acente...

jinhuz cronicamente exilados em ti :)

Manuela Viola disse...

Gosto desse assumir de exilado!
Abraço