quinta-feira, 18 de outubro de 2007

Da razão


Marco Polo descreve uma ponte, pedra a pedra.
- Mas qual é a pedra que sustém a ponte? - pergunta Kublai Kan.
- A ponte não é sustida por esta ou por aquela pedra - responde Marco, - mas sim pela linha do arco que elas formam.
Kublai Kan permanece silencioso, reflectindo. Depois acrescenta: - Porque me falas das pedras? É só o arco que me importa.
Polo responde: - Sem pedras não há arco.

Ítalo Calvino – As Cidades Invisíveis


Silêncio.


As palavras inscrevem-se em silêncio no espaço deixado vazio.

12 comentários:

espaço história & arte disse...

bem hajas por nos mostrares os teus trabalhos artisticos, o txt é belissimo...e a ponte é a do Penacal??
tens fotografias absolutamente maravilhosas!! para quando é q t atreves a expo-las na galeria da tua terra??
beij

Manuela Viola disse...

Palavras sábias!
Beijinho Alexandre, estou de volta de muito andar por aqui e por ali.

Rhiannon disse...

Bem profunda esta reflexão.

Dulce disse...

Um livro a reler (digo eu ...).
Abraços

_E se eu fosse puta...Tu lias?_ disse...

há sempre morais escondidas atrás do aparente;)

***********************************

ivone disse...

são as palavras surdas que nos preenchem mais...

RV disse...

Bom dia.

Profundo.
Imensamente profundo.

Lis disse...

Também parei aí ;-)

vermella disse...

Encántame entrar aquí e sair pensando,o todo ante a nada.
beijo.

Dulce disse...

Voltei para acrescentar que o teu desenho está lindo. Não é q não tivesse reparado nele da primeira vez ... fiquei arrependida de não o ter dito. GOsto do pormenor com que desenhas e apesar de não perceber nada de técnicas de desenho, acho que está tão perfeito! Este e outros que já vi lá para trás ..
Um abraço

Gi disse...

Não te sabia artista ... afinal a inspiração estava lá. Só que escondida. Gostei muito.

Liga-se tantas vezes à obra descurando a matéria prima ... os pequenos detalhes.

Vou agora actualizar os links.Torna-se mais fácil visitar-te.

Um beijinho

De Amor e de Terra disse...

Gosto muito de Pontes!
Das de pedra ou outros materiais sólidos ligando terras e gentes e das outras, etéreas, pairando entre o real e o fantástico, ligando pensamentos, amores e sensações... sempre as Pontes na minha vida; e sempre as interrogações e as reflexões a servirem de matéria de construção!

Bj

Maria Mamede