quinta-feira, 13 de setembro de 2007

Ser ou não ser (gato(a)) eis a questão


Amiúdes vezes, expressando um prazer de satisfação alguns raiando a cobiça, ouço o comentário:

- que gato (a)….!!!

Confesso que tal apodo sempre me intrigou.
4 patas, muito pelo, longos bigodes… morfologicamente, anatomicamente, etc. , não encontro muitas semelhanças para com o ser “apreciado/invejado/desejado”….

Analiso o que sobre ele diz a Vox Populi:

Gato escaldado, de água fria tem medo.
De noite todos os gatos são pardos.
Gato escondido com rabo de fora.
A curiosidade matou o gato.
Quando está fora o gato folga o rato.
Gato miador, não é bom caçador.
Um olho no prato, outro no gato.
Quem não tem gato…caça com cão.
Impingir gato por lebre.
Dar-se como o cão e o gato
.

Sem conseguir encontrar uma explicação plausível, e cada vez mais intrigado, de dúvida em dúvida, procuro ir ao âmago da questão.


Socorro-me do seu significado:

s.m. Mamífero carnívoro, da Famílias dos Félidas, existente no estado selvagem, mesmo em Portugal, mas representado em quase todo o Globo por espécies e muitas raças domesticadas e úteis.

Ah...! Será que é aqui que está o busílis da questão…?!
ps.reli o que escrevi. é por estas e por outras.. que continuo solteiro e só...!

4 comentários:

Ema Norte disse...

Miau...

Beijinho.

Alexandra disse...

Não são todas as pessoas que fazem um post destes. Contundente, preciso e maravilhoso. Parabéns!

Bjs

De Amor e de Terra disse...

Olá Alexandre; achei hilariante este seu post!
Mas o facto de estar solteiro e só, não quer dizer que não pertença (consciente ou inconscientemente -voluntária ou involuntáriamente) a uma dessas raças domesticadas(ou quase) e úteis...

Beijo

Maria Mamede

Isabel Magalhães disse...

Lamento ou grito de trinfo? :)))






[]
I.