sexta-feira, 14 de setembro de 2007

Questões pertinentes em dois actos e um epílogo


1.º acto

A primeira coisa que é necessária para haver "evolução" é a insatisfação ou a constatação de que algo está mal ou poderia ser melhor.

Muita da minha escrita tem sido um colocar de peças do jogo de xadrez no tabuleiro, tendo do outro lado, como adversário, o mistério da vida.

Recuo diversas vezes nos meus raciocínios, procurando os erros e invariavelmente vou “jurando” (muitas manifestadas em forma escrita) que não volto a "errar".

2.º acto

Para mim normalmente as palavras acabam por ter uma importância relativa: valorizo muito um frente-a-frente, o gesto corporal, o facial, etc.!
Se as palavras valem por si mesmas, porque será que ultimamente tenho tanto prazer em ler o que escreve uma “anónima” identificada?!

epílogo

- Porque recebemos as mensagens certas das pessoas erradas?

conclusão
Maldita distância geográfica!

8 comentários:

ivone disse...

1º acto
não jure nunca que não vai voltar a errar. erre! mas não jure! errar é humano e é no erro também que se reside a nossa evolução.

2º acto
não imagina quanto é esse poder. o das palavras! claro. às vezes porque nem sempre há que as valorizar mais que um simples tete à tete um olhar ou um sorriso.

epílogo
e continuamos a enviar mensagens certas às pessoas certas.

conclusão
é gratificante continuar as dispor as letras no tabuleiro.

Alexandra disse...

Obrigado Alexandre pelas suas palavras!

Presumo que vou cá estar caída a maior parte das vezes... são questões pertinentes e interessantes as que coloca!

Não vou comentar os actos mas sim os temas ou, pelo menos vou tentar.

Evolução - Tem toda a razão no que escreve. Todos ou uma grande parte de nós tende a modificar o que considera digno de tal. Seja por razões negativas ou positivas. O Ser Humano é assim mesmo. A necessidade de mudança é uma constante na nossa vida embora possa diferir de pessoa para pessoa. Muitas, nem gostam da mudança, mas... acabam sempre por mudar algo.

Mistério da vida - Quem não anda às voltas com ele???
Ainda bem que recua nos seus raciocínios e procura os erros. Significa que está atento!
Todavia e no que respeita aos erros, estamos sempre a errar. Juramos que não voltamos a cometer mais esse erro mas... nem que seja de outra forma acabamos por voltar a praticá-lo. O erro é também uma forma de aprender. Se não errarmos, ou não tivermos a percepção do erro, continuamos sempre iguais. Por isso, errar é salutar. O que não quer dizer que não traga sofrimento.

Palavras - Estou de acordo consigo quando diz que valoriza a linguagem corporal no seu todo. Por esse prisma, as palavras têm de facto, uma importância relativa. Contudo, mesmo pelas palavras muita coisa se pode transmitir ao outro. A palavra é uma linguagem, faz parte de nós. Dela também retiramos informação que pode ser confirmada ou não. Se tem prazer em ler outra pessoa, porque não? Provávelmente há uma identificação, seja ela de que índole fôr. Todos nós nos projectamos e identificamos continuamente.

mensagens e pessoas - tente não catalogar. Não acrescente certos e errados, deixe simplesmente que as mensagens lhe cheguem!

Quanto à conclusão... eu sei e o Alexandre também sabe que pode chegar a outra conclusão!

Tanto e tão pouco que lhe deixei para este seu post maravilhoso. Mas, tudo o que você questiona é importante embora complicado demais para comentar com brevidade.

Esta "resma" de palavras mais não é do que aquilo que o Alexandre já sabe. E, sabe isto e muito mais!

Continue!!!

Bjs

ps: Deixo-lhe o endereço do videoclip que tenho hoje no meu blog. Talvez assim consiga ouvir pois sei que ele não está nas melhores condições.

http://www.youtube.com/watch?v=untEORj4r-M

Ema Norte disse...

Não há pessoas erradas...apenas desencontros.

Beijos.

P.s. Gosto da flor, muito.

alexandrecastro disse...

entrei numa semana muita complicada, com muitas decisões (importantes) a serem tomadas.claro que como bálsamo "reconfortante" tenho agora, outros assuntos em que pensar.talvez respostas a dar, talvez saborear palavras e sentimentos.

Borboleta disse...

Pois poderei dizer que o seu Blog é de excelente qualidade....
Mas poderá perguntar-se o porquê de comentar este post, e não um outro qualquer...mas deve-se ao facto de me dexar seduzir e inebriar pela beleza dos malmequeres...

Obrigada pelas suas palavaras, mas o Blog chegou ao fim,quando senti aquele fim, mas nasceram outros no seu lugar...

De Amor e de Terra disse...

Meu caro Amigo, seja lá a sua Musa quem for, digo o que diz o meu Povo..."é a vida e não se pode ter tudo..."


Bj

Maria Mamede

Lia Noronha disse...

Alexandre: bem interessante essa viagem através dessas reflexões...que vc fez...sem ao menos sair do lugar!
Abraços diretamente do meu Cotidiano.

A lareira de Santiso disse...

Pasaba por aquí, de casualidade, e fiquei abobada polas túas palabras. Tamén eu penso que non hai persoas erradas, senón mentes encasilladas.
Unha aperta, que nunca é errada.