quinta-feira, 13 de setembro de 2007

O meu comedouro para pássaros é um sério caso de sucesso…


Na tentativa de compreender o comportamento animal, as suas especificidades, somos frequentemente tentados a compara-lo com o comportamento humano, criando paralelismos, ou distinções, no intuito de o melhor apreendermos. Por vezes, fala-se de um punhado de emoções nucleares: medo, ira, tristeza e prazer; a que outros acrescentam: amor e vergonha.

Curiosamente já pude observar este poder das emoções…nos frequentadores do meu comedouro!

A que partilho, fascinou-me!

Estaremos perante a selecção natural, que leva inevitavelmente à sobrevivência do "mais apto", ou à exteriorização do lado mais "cru" (agressivo, ou mesmo violento) num sério caso de ataque de “raiva”…!

11 comentários:

sombra e luz disse...

viverumconto e acrescentar-lhe um ponto...de exclamação.... de interrogação... de reticências...

o seu comedouro para pássaros é um caso sério...

Como vai o tempo, hoje, por aí?
Cumprimentos aos pardais mais simpáticos e conviviais...para si também...

Alguem disse...

Ola
A Natureza e das coisas mais belas que temos e tudo que vem com ela.
Adoro passarinhos.

te vim agradecer teu comentario e te deixar mil beijos e desejos que a tua semana esteja a correr as mil maravilhas
Whispers

alexandrecastro disse...

olá sombra e luz. otempo por aqui, óptimo, os cumprimentos irão ser entregues, os meus queria retribuir..mas confesso, não sei como...!

SIMPLESMENTE.... C disse...

Pronto vim te ver...ehehehe..


Legal seu blg...
hoje estou um pouco correndo mas dps volto pra ti ler com atenção..
abracinhos,,

ivone disse...

o instinto de sobrevivência está sempre presente tanto nos "mais aptos" como na fragilidade dos que não o são tanto. é natural e normal a ira e a cólera se manifestarem perante idênticas situações tanto em nós como nos que não conseguem racionalizar.
curiosa forma de entreter o tempo a sua...

Ema Norte disse...

Há casos assim...um sucesso.

Beijinho.

Alexandra disse...

Olá Alexandre,

A observação é curiosa! Tenderia a pensar porque não um pouco das duas hipóteses?

As suas palavras no meu espaço trouxeram-me novamente até aqui e, contráriamente ao que aconteceu na 1ª. vez que aqui apareci, acabei por ler tudo o que aqui deixou. Se na altura o achei bastante interessante, depois de o ler na íntegra, percebi o quanto de muito bom tem aqui escrito.

Fala algures que acha/pensa estar a ser mórbido ou triste e tenta modificar o discurso. Deve mudar se isso o ajudar, se não fôr esse o caso, não mude. Escreve muito bem e consegue transmitir com muito sentimento o que acha importante. No fundo Alexandre, muitos de nós nem têm coragem de dizer muito do que você já disse. Transmiti-lo não é fácil, no entanto consegue-o. Acredito que se sinta bem depois de escrever. Continue a fazê-lo!

Existem muitas formas de solidão. Duas delas são estar mesmo só,ou só no meio dos outros. Qual delas a pior?!

O seu blog é óptimo. Continue. Parabéns!

Obrigado pelas palavras.

Bjs

SILÊNCIO CULPADO disse...

Também gosto de apreciar os animais e a forma como interagem. Eles têm relações de sociabilidade e de afectos interessantíssimas e, casos há, que serviriam de bons exemplos aos humanos.

Lis disse...

É a lei da vida...dura lex sed lex.

Bonito comedouro e bela ideia!

De Amor e de Terra disse...

Não sei se estou certa, mas parece-me mais um "finca-pé", como quem diz, daqui não saio, daqui ninguém me tira!...


Beijo

Maria Mamede

Isabel Magalhães disse...

Da minha janela a poente, na orla de uma mata nacional, gosto de observar os pássaros na disputa de uns pedaços de pão.




Porque será que os melros têm medo dos pardais?

Deixo um []