quarta-feira, 8 de agosto de 2007

Percebe, está a perceber?


A inacção consola de tudo. Não agir dá-nos tudo. Imaginar é tudo, desde que não tenda para agir. Ninguém pode ser rei do mundo senão em sonho. E em cada um de nós, se deveras se conhece, quer ser rei do mundo.
Não ser, pensando, é o trono. Não querer, desejando, é a coroa. Temos o que abdicamos, porque o conservamos, sonhando, intacto eternamente à luz do sol que não há, ou da lua que não pode haver.

Livro do Desassossego
Vol. I. Fernando Pessoa.


São horas talvez de eu fazer o único esforço de eu olhar para a minha vida. Vejo-me no meio de um deserto imenso. Digo do que ontem literalmente fui, procuro explicar a mim próprio como aqui cheguei.

3 comentários:

Manuela Viola disse...

Creio que todos temos, de vez em quando, esse sentir. Sentir que estamos num deserto rodeado de gente. Perguntar de onde vim, porque estou aqui e para onde vou.
Não sei responder, nem sei, tão pouco, se gostaria de saber.
Um abraço. `

JRL disse...

Concordando embora com a Manuela Viola, sempre lhe digo, Alexandre, que esse sentir não tem de ser um castigo. Por que não tirar-lhe peso, dar-lhe alguma leveza e deixar correr...? Um beijinho

De Amor e de Terra disse...

Olá Alexandre, boa tarde!
Vim de novo a esta sua "casa" para ler e comentar os posts que ainda não vi.

E este, sendo seu, é-me tão familiar...
Não pense Alexandre que com o passar do tempo, é seguro que todas estas perguntas terão resposta; nem sempre têm...
Estou já no início do meu "Outono" e no entanto, muita vez me faço e refaço as mesmas perguntas... e as respostas, ora aparecem, firmes, confiantes, ora desaparecem, ínvias,tortuosas,para reaparecerem de novo, mais tarde;
Mas isto daria "pano para mangas", como se diz na minha terra...
quem sabe se um dia poderemos falar do assunto, "ao vivo e a cores"!!!

Abraço

Maria Mamede