sexta-feira, 17 de agosto de 2007

De olho nos pardais


Como isto das reencarnações tem muito que se lhe diga… resolvi construir e colocar num canto do terraço um comedouro para aves!
Assim, começo as minhas manhas espraiando o olhar na voluptuosidade de recortes da serra de Montesinho, com a mais valia, de ao longo do ano, as suas alterações cromáticas fazerem jus ao epíteto de - aguarela gigante. De beleza em beleza, os rituais, as cortesias, os bailados dos pardais em volta do comedouro, que salpicam de cor e movimento as minhas madrugadas, acabaram por me trazer uma outra forma de fascinação para com a natureza e o seu mundo tão perfeito:
Na Natureza, o Criador colocou plantas e animais num equilíbrio perfeito, e o homem, para que desfrute do todo.

4 comentários:

isabel disse...

são dedos? traves? telhas?

é lindissimo

obrigada pela visita

De Amor e de Terra disse...

Olá boa tarde!
Obrigada Alexandre pela sua passagem no meu De Amor e de Terra e pelas suas palavras.
Gostei de aqui vir! Também eu acredito na reencarnação!
Também eu, mesmo sem comedouro, vou dando de comer aos pardais...
Ajudas para "amahã"!!!

Maria Mamede

Carminda Pinho disse...

Boa noite Alexandre!
Obrigada pela tua visita que motivou a minha vinda aqui ao teu bonito sítio.
Lindissima terra a que habitas.
Pena que o homem não dê o devido valor às pequenas grandes coisas que o rodeiam.
Boa ideia essa do comedouro :)
Bjs

Ana Ramon disse...

Olá! Gosto sempre de ler estas reflexões. Mas nem sempre o homem desfruta da natureza. A maior parte das vezes, destrói-a, infelizmente.
É bom sentir o teu optimismo e confiança.
Beijinho