quarta-feira, 8 de agosto de 2007

Contra a parede, para falar do tempo…!


Muitas vezes, não existe uma diferença óbvia entre realidade e ilusão. O invisível acaba por ser frequentemente mais real do que o visível.
Recorremos ao mundo visual e à concepção para questionar a nossa presença neste mundo de linguagens perceptíveis.
O aumento da percepção e o aprofundamento das emoções são as minhas maiores preocupações. Confrontam-se assim uma série de realidades diametralmente opostas: prazer e dor?
…monocórdica e ladainha e que entediante monólogo. Como sempre!!!

2 comentários:

JRL disse...

Oh Alexandre, já tinha saudades! E o que é isso da monotonia ou do tédio? Tenha-se em alta conta porque eu tenho-o! Um beijinho.

De Amor e de Terra disse...

Olá Alexandre!
Não concordo consigo, de todo!!!
Só achará entendiante e monocórdico, quem ainda não entrou no mundo, chamesmos-lhe "onírico",
das maravilhosas descobertas do "além", onde floresce o espírito...
Há quem saiba já tanto sobre esse assunto, (nunca sa sabendo muito, obviamente) que nos ensina, sempre que nele queremos entrar e aprender.
Depois dos primeiros passos, tudo se torna mais fácil!
É só tentar.

Maria Mamede