sexta-feira, 13 de julho de 2007

O Tempo e o Modo


Tenho a impressão de que certas pessoas, se soubessem exactamente o que são e o que valem na verdade, endoideciam.
De que, se no intervalo da embófia e da importância, pudessem descer ao fundo do poço e ver a pobreza franciscana que lá vai, pediam a Deus que as metesse pela terra dentro.


Diários. Miguel Torga

Eu bem que andava desconfiado da existência de duas coisas infinitas: o Universo e a estupidez humana.

2 comentários:

JRL disse...

Olá Alexandre,
As pessoas andam muito distraídas, ou então fingem que não vêem...
Bjs

Dulce disse...

A propósito disso diz Carlo Cipolla: "As pessoas não estúpidas subestimam sempre o potencial nocivo das pessoas estúpidas. Em particular, os não estúpidos esquecem-se constantemente que em qualquer momento, lugar e situação, tratar e/ou associar-se com indivíduos estúpidos revela-se infalivelmente um erro que se paga muito caro"
in "Allegro ma non troppo", Celta.

Quanto ao teus Olhares, estive lá. Gosto da forma como olhas as coisas. Há uma grande diferença entre o fotografar apenas e o fografar com os sentidos. Não sei se me conseguiste entender, mas neste momento é como consigo explicar-te. É uma coisa que sinto.
Gosto muito de fotografar tb em Macro e tenho algumas boas fotos assim, mas é uma área que só a experiência consegue melhorar. Também gosto muito da fotografia nocturna mas quanto a isso ainda não estou à vontade na matéria. A minha máquina provavelmente tb não será a mais adequada para o efeito. É uma Pentax Optio 60 q tenho há um ano e q ainda estou a explorar. Não vi qual é a tua (ainda vou espreitar).
E pronto ... distraí-me a escrever ... :-)
Um abraço