sexta-feira, 20 de julho de 2007

A fórmula de Deus?


Embora o engenho humano possa produzir vários inventos, nunca poderá conceber invenções mais belas, nem mais simples, nem mais apropriadas do que a Natureza faz: porque nas invenções da Natureza não falta nada, e nada é supérfluo, e não precisa de contrapesos quando faz membros adequados à movimentação dos animais.

Os apontamentos de Leonardo, Leonardo da Vinci

Ps. Já em anteriores publicações José Rodrigues dos Santos tinha-me surpreendido. Contudo, confesso que, nesta sua última obra (da qual me apropriei para título do post) passei do estado surpreso para fascinação.
Quanto admiro pessoas “ simples” mas com tanto!

quarta-feira, 18 de julho de 2007

Outra Coisa ou o Ruído da Alma?


Só um pensamento no momento para nos despertar.


(…)

Ah, que ninguém me dê piedosas intenções!
Ninguém me peça definições!
Ninguém me diga: “vem por aqui”!
A minha vida é um vendaval que se soltou.
É uma onda que se alevantou.
É um átomo a mais que se animou…
Não sei por onde vou,
Não sei para onde vou,
- Sei que não vou por aí!


Cântico Negro
, José Régio


Ps. Obrigado Ana Ramon pelas tuas palavras. Voltei ao teu blog e calmamente saboreando a escrita e os “actos” confesso que fiquei com muita inveja….! Nem sabia que se podia ter tanta!

terça-feira, 17 de julho de 2007

Sentir é uma maçada


O prémio natural do meu afastamento da vida foi a incapacidade, que criei nos outros, de sentirem comigo. Em torno a mim há uma auréola de frieza, um halo de gelo que repele os outros. Ainda não consegui não sofrer com a minha solidão. Tão difícil é obter aquela distinção do espírito que permita ao isolamento ser um repouso sem angústia.

Livro do Desassossego. Fernando Pessoa.

sexta-feira, 13 de julho de 2007

O Tempo e o Modo


Tenho a impressão de que certas pessoas, se soubessem exactamente o que são e o que valem na verdade, endoideciam.
De que, se no intervalo da embófia e da importância, pudessem descer ao fundo do poço e ver a pobreza franciscana que lá vai, pediam a Deus que as metesse pela terra dentro.


Diários. Miguel Torga

Eu bem que andava desconfiado da existência de duas coisas infinitas: o Universo e a estupidez humana.