segunda-feira, 11 de junho de 2007

A ansiedade do status…?


Estamos num período complicado da existência. Assistimos cada vez mais à perca de valores.

Lá fora impera a selva – ninguém é amigo de ninguém, descaradamente as relações são oportunistas e descartáveis. A ansiedade do status…?

Um ser submetido simultaneamente a estímulos que provocam raiva ou medo pode atacar ou fugir com idêntica probabilidade.

Coexistem e combinam-se de maneira diferente, os princípios da realidade (que posso fazer?), do dever (que devo fazer?) e do querer (que quero fazer?).
Não há fuga possível ao labirinto da vida; o que importa é saber viver a vida no labirinto que a constitui.


Ele o sabia agora que estava só, já coberto da noite que descia, submerso do silêncio que povoava toda a casa, suspenso do abismo do futuro. Ele o sabia agora. Mas como sabê-lo amanhã?
Acendeu novo cigarro e ali se deixou ficar, esquecido, na sala já escura.


Vergilio Ferreira, Cântico final

De todas as formas não há que esquecer que o simples voo de uma borboleta ou a delicadeza de uma flor podem ser motivo de satisfação.

É nesse lugar que me hei-de agarrar mais tarde, uma vez abandonado o presente.
Acho que a minha vida começou a mostrar-se-me esta palavra, já não a separo da minha vida.

Ps. Os tropeções da vida devem tomar-se com algum optimismo. Se não se cometessem erros, como se poderiam corrigir?

5 comentários:

Abrantes disse...

Que grande maldade, para consigo e principalmente para com os seus amigos!!!...como é possivel generalizar frases feitas tão feias...ninguém é amigo de ninguém???...descaradamente as relações são oportunistas e descartáveis???...Parafraseando Shakespeare...plante o seu jardim e decore a sua alma, em vez de esperar que alguém lhe traga flores...é que realmente a vida tem valor, e você tem valor diante da vida!...e só nos faz perder o bem que poderiamos conquistar, o medo de tentar!!! Um abraço...amigo!

PS.: Os tropeções/erros, são lições de vida...nem sempre temos oportunidade de corrigir...mas podemos sempre aprender com eles!!!

alexandrecastro disse...

Olá amigo Abrantes
Também eu gostaria de pensar assim. Que as pessoas são apreciadas, valorizadas pelas suas competências (sejam elas pessoais ou profissionais), etc., etc.,. Contudo a realidade (a minha) tem sido uma outra bem diferente: há uns anos a esta parte parece que a minha “moradia” é numa montanha-russa.

Vive-se o momento, alimenta-se o “desenrasca” e quando questionamos o porquê do nosso “vizinho” estar melhor do que nós, somos…apontados e porque não, descartados.

Contudo, concordo consigo e agradeço a citação de Shakespeare...”plante o seu jardim e decore a sua alma”, talvez seja isso que tem faltado à minha vida - o bem que poderíamos conquistar, o medo de tentar!!!
Hoje é segunda-feira, é provável que seja um bom dia para decisões.
Já em anterior mensagem tentei aceder ao seu blog mas não consegui, assim é aqui e em directo que lhe agradeço as palavras.

Manuela Viola disse...

Concordo em parte com o Abrantes, concordo em parte comsigo, mas uma coisa estou certa: devemos sempre aprender com a vida!

alexandrecastro disse...

pois é MV... se eu pudesse...
mas embora esteja quase conformado com o status quo vigente, ainda não me sinto ainda derrotado, nas alturas de maior desalento...ainda ecoam umas certas palavras:

Cai o silêncio nos ombros e a luz
impura, até doer.
É urgente o amor, é urgente
permanecer.

obg

Makejeite disse...

O ciclo vai-se fechando.
Não podemos desprezar as pontas só porque pelo meio encontrámos uns entraves.

Gostei das fotos nos posts e gostei dos posts. Vou vir vindo para animar a malta.