terça-feira, 15 de maio de 2007

Sequência, argumentos e actuantes


Dizia hoje alguém:
- Em Portugal, as pessoas são imbecis ou por vocação, ou por opção, ou por devoção.


Miguel Torga (Diários)

Parece que sim. O que é o poder das ideias…
Como qualquer disco girando, surge o eterno problema de se saber o que fazer enquanto se está na “fila de espera”.


Debato-me entre forças contraditórias. Em vez de os esquecer, trago-os no pensamento.
Consumido de todas as maneiras. Sobretudo de indignação.


O cansaço mental desgasta o pensamento, aprisiona-o às tarefas para cumprir.
Apesar do “devido” ao muito trabalho, olho o futuro, mas não o alcanço…
… quando os sonhos se confrontam com a realidade, surge o “desespero”!!!!
Céptico? O Rei vai nu.
Por mais que me esforce não consigo entrar na “roda dos eleitos”.

Trabalhar! Êxtase! Esmagar os cérebros!
Indignado. Que estupidez!
Não posso fazer da vida um inferno.


Hoje comprei uma nova caixa de aguarelas! Sábado vou até ao Paraíso – Montesinho…, mergulhar nas “telas” com alegria!

Começando a jornada no café do Isaías, depois só me resta perder no silêncio destas montanhas, retemperar a alma – o palpitar do belo!
Ali, talvez, quem sabe, me vá esquecer dos esboços.
Escondido, recolhido, a natureza devolve-me o tempo:

- É fácil sonhar, é fácil, de repente imaginarmos-mos.

1 comentário:

Manuela Viola disse...

Sempre que leio o que escreve, encontro uma imensa beleza, mas fico com uma sensação de nostalgia. Perdoe-me se estou errada.
Será que também encontra nos pinceis e aguarelas a sua Paz?