quinta-feira, 1 de março de 2007

Teoria de paciência


O problema com as “coisas” é que são mudas.
Não posso intervir directamente na estratégia contextual, trata-se de um processo indirecto.
Quando é que isto acaba?
Que me importa, é só uma fase.

Selecciono, guardo o bom, esqueço o perturbador!

Sem comentários: