terça-feira, 27 de fevereiro de 2007

A filosofia do papel

Um texto é emitido por alguém que o actualiza!!!!
Ultimamente acompanho com uma grande dose de desconforto. Expectativas..?
Analiso o problema, tento-o domesticar! Mas, como uma sombra, persegue-me.
É evidente que isto torna possíveis certas memórias e outras não.
Sinto-me mal, não gosto como o tempo passa!
Há sempre um vazio, imenso e estranho à volta daquilo que fica para trás.

O que está em jogo é delicado. Não me apetece pensar mais. Procuro forçar-me a produzir!
Olho as tintas e os papéis - já nem o acto de realizar interessa.
Adopto uma postura de espectador televisivo.

Indignado. Que estupidez!

Sem comentários: